VOTOS de FELIZ NATAL e ANO NOVO

        Aos amigos e leitores,
meus melhores votos de Feliz Natal
    e prosperidade no Ano Novo

PARA APRECIAR O LIVRO DIGITAL


O Rei que Comia Letras e outras histórias, desde o lançamento na 57ª Feira do Livro em Porto Alegre, está disponível para leitura na Internet.
É um livro infantil porque traz histórias do repertório infantil, já muito conhecidas, que as crianças gostam de recordar. Mas também tem histórias adaptadas e outras até inventadas. As imagens são criações de artistas visuais que fizeram um trabalho muito bacana para agradar os grandes e os pequenos.
Para ver as ilustrações e ler as histórias, não precisa pagar nada. Depois de digitar o endereço: http://www.oreiquecomialetras.com.br,  é só preencher o cadastro com nome, cidade e estado onde mora e o email. Depois, clicar em enviar e novamente clicar em clique aqui para abrir o livro.
Cada página é de um autor e narra uma história diferente.
O mouse é que vira as páginas, diferente do livro de papel que é o dedo que folheia.
É um jeito de ler brincando, como as crianças e também os adultos costumam fazer no computador, nos jogos, nos vídeos e outras formas divertidas de ver e ler.
Leitores de várias cidades e estados do Brasil e também de outros países já acessaram o livro, mas os autores querem atingir mais e mais leitores - as crianças, os pais e os professores. Para mostrar que o livro digital é tão bom quanto o livro de papel e que, pelo suporte diferente, a leitura pode ser uma brincadeira de dar gosto.


 A imagem é da história que deu título ao livro: O Rei que Comia Letras; e o autor é o Joel Silva.

Começa assim:

"Era uma vez um rei que morava em um castelo muito distante, onde havia um rato seu amigo chamado “Pop”. Todas as noites o rato roubava letras dos livros das crianças da aldeia para o rei fazer sua sopa. O Rei adorava sopa de letras!
                   Porém, as crianças ficaram tristes, pois não podiam ler seus livros, de tal modo que resolveram descobrir quem fazia essa maldade e descobriram que era o rato de estimação do rei.
                   Nessa aldeia havia um menino, chamado Ted que tinha um urso de pelúcia de nome Boly que gostava de surfar nas nuvens todo  final de tarde. Então resolveram que a única maneira de entrar no castelo seria Ted amarrar vários balões na cintura e pular para dentro do castelo." 

Abra o livro para saber como esta história vai terminar.

Série Poesia Visual