Pesquisa sobre o livro digital


 
Pesquisa realizada no Linkedin por Jacira Fagundes

Através do seguinte debate:

Olá amigos, Estou fazendo uma atualização em literatura num curso online. Foi solicitada uma pequena entrevista na rede sobre livro digital.Vou deixar aqui 3 perguntas, com o pedido de, quem puder, deixar em seus comentários as respostas. Alguém me ajuda? 1- Você costuma comprar livros digitais?  Em que sites? Para ler em que dispositivo?

2- Você costuma ler livros digitais gratuitos? Em que sites?

3- Você tem livro digital de sua autoria? O acesso (gratuito) ou venda lhe satisfaz?

Nº de pessoas que responderam – 12

 

Resultado da pesquisa:

1- Você costuma comprar livros digitais?  Em que sites? Para ler em que dispositivo?

Costumam comprar livro digital  - 06

Compram pela Amazon,  Kobo, Saraiva – 06

Leitura no Kindler – 04

Leitura no Tablet – 01

Leitura no ipad – 01

Não compram – 06

 
2- Você costuma ler livros digitais gratuitos? Em que sites?

Leem livros digitais gratuitos – 04

Baixados da Amazon – 02

Em sites – 01

Não leem – 06

Não responderam – 02

 

3- Você tem livro digital de sua autoria? O acesso (gratuito) ou venda lhe satisfaz?

Possuem livros digitais de sua autoria – 04

Satisfeito com acesso gratuito  – 01

Satisfeito com as vendas – 01

Não satisfeito com acesso gratuito – 03

Não satisfeito com as vendas – 02

 

Conclusões:

 
Na pequena amostra em 12 entrevistados, o índice de compra de livros digitais é de 50%, o que pode ser considerado BOM.

Já, quanto à leitura, o índice baixa para 33%, o que significa que, mesmo entre os que compram, nem todos leem.

O mesmo índice de 33% é apresentado quanto à publicação de livro digital de autoria dos entrevistados, o que pode significar um BOM índice.

No entanto, a satisfação com os acessos gratuitos ou com vendas é muitíssimo baixo – 8%

 Quanto a dispositivos para leitura, aparece o Kindler, Ipad e Tablet. Um único site foi apresentado.

 
Conclui-se, portanto, que o livro digital, no que diz respeito à leitura, a acessos gratuitos ou vendas, ainda apresenta um quadro pouco significativo.

A Amazon lidera, quanto à baixa de livros digitais.

 

 

Agradeço aos colaboradores:

 
Jeanette Rozsas – Chefe de EUquipe na Livros e mais Livros

Amanda Carvalho –

Marcia Soares – Sócia na Soares& Morin Comunicação e Marketing Ltda.

Fernando Weiss –Profissional Independente de Advocacia

Abel Sidney – Escritor e editor

Dida Bassano – Mestre em Comunicação pela F. Casper Libero

Jefferson R.

Maria Clara Costa – Sócia Proprietária da MCP da Costa Design Editorial

João batista Zuccaratto – Redator, revisor e produtor de livros

Luiz Basile – Designer at Casa Desenho Design

Inez de Castro – Profissional da Arte

Flávio Simões – Analyst at Visagio

 

 

 

 

 

 

 

2ª Edição de Dois no Espelho



 
A novela Dois no Espelho, publicada em 2007, acaba de sair em sua 2ª edição, desejando conquistar novos leitores.
De cara nova, ela ainda teve chance de se apresentar nos últimos dias da Feira do Livro, salientando-se entre as tantas publicações da Editora Movimento.
Estou feliz com esta renovação. A capa  é tão instigante quanto a anterior, criada por Eduardo Miotto.
E o texto, para quem conhece e que deixou marcas na lembrança. E para os que irão conhecer a partir de agora, reforço a recomendação da escritora Valesca de Assis, que assina a orelha da obra:
                      
               .... é melhor iniciar a leitura de Dois no Espelho.
                                           De luvas, para não queimar as mãos!





Logo, estarei indicando  locais de venda e convite para um bate-papo com relançamento. Aguardem!

A Literatura Infantil e Juvenil e o Consumismo



Minha coluna de novembro, no portal http://artistasgauchos.com.br , já está a disposição dos leitores.
Fica o convite para a leitura. Não deixem de comentar: se concordam, se discordam.
O assunto é polêmico na literatura para crianças e jovens, vale a pena conferir.

Deixo um trecho, como chamada:


Nunca se falou tanto na imprensa sobre a questão do consumismo. Poderíamos apontar um número elevado de pessoas e instituições particulares e públicas que se beneficiam com o  consumo. Isto é ótimo. Para os que produzem e para os que consumem, o consumo é benéfico e absolutamente necessário.

Hoje temos uma gama nunca pensada de produtos a nosso dispor – do simples ferro elétrico aos computadores; do arroz com feijão ao fast-food  – produzidos para facilitar nosso cotidiano. A gastronomia, a comunicação, a telefonia, os serviços, tudo vem aumentando o quadro de acesso a tantos consumidores.
Indistintamente.

Série Poesia Visual