Amigos Secretos

São muitas as razões que fizeram da época natalina um tempo de expiação. Mas a idolatria pelas coisas materiais e a falta de grana, sem dúvida, desbancam qualquer outra razão que se possa apontar.
Porém, uma luz surge no fim do túnel para resolver o impasse da obrigação de se presentear a todos os familiares e a todos os amigos e colegas, de escola, da academia, do trabalho, da aula de judô, do coral, dos torneios de fim de semana, das rodadas de cerveja, e por aí vai. É uma luz que pretende ser divertida revelando uma brincadeira para gente grande: “o amigo secreto”. O problema é que gente grande leva a questão do presente muito a sério e nem sempre gente grande sabe brincar. Senão vejamos:
Nem sempre o “amigo secreto” é “o amigo”, aquele, daquela forma de amizade nossa velha conhecida mas jamais ultrapassada.
Se o amigo secreto é um velho amigo, ele não segura o contentamento e passa a dar pistas descaradas para o outro, e o que era para ser secreto passa à revelação pública e bem antes da hora.
Pior é a escolha do presente. Se o amigo secreto está no primeiro caso – o do amigo que não é o amigo – então, coitado do presenteado. Mas o amigão pra valer do amigo secreto que é amigo, também enfrenta uma barra: como conjugar o presente desejado e até merecido, com o mirrado valor do presente combinado?
Há histórias tristes de presentes que ficaram tão secretos que nunca chegaram às mãos do candidato a presenteado. Ou de objetos mal amados que surgiram das sombras e se transformaram, do dia para a noite (geralmente a troca de presentes dá-se em jantares), em desajeitados presentes de última hora. Uma lástima que seus tempos de glória sejam curtos. Logo, logo, eles passarão a habitar fundos de armários, e, com sorte, serão lembrados no próximo Natal. Passando das mãos de um amigo para outro amigo, e para outro, sucessivamente até chegar, por azar, ao primeiro amigo que deu início à corrente. Este, ao reconhecê-lo, dará um fim à trajetória infeliz, arremessando com fúria o objeto indesejado na lixeira para juntar-se a resíduos nada recomendáveis.
E o que era brincadeirinha pra gente grande ficar feliz vira disputa entre quase desafetos.
Resta erguer a taça de espumante e gritar em coro com cara de contente: Feliz Natal!!!!!

O Menino e o bom velhinho

Aquela era a primeira vez que encaravam a proximidade; estavam os dois, assim, frente a frente.
Nos anos anteriores, a decoração do shopping abrangera vários espaços temáticos. Mas desta vez o pessoal responsável optara por um espaço único, uma praça surpreendente onde cabia todo o encantamento de uma Noite de Natal.
O primeiro a falar fora o velhinho, num raro momento de descanso entre uma foto e outra. O Menino talvez ainda dormisse, mas aquela voz rouca interrompeu seu despretencioso sono de criança.
- Como você é bonitinho, face rosada, este rostinho cheio. Fica aí todo tempo deitado nesta caminha dura, sem um colchãozinho decente, você não cansa, não lhe doem as costas?
- Estou acostumado e, além do mais, sou pequenino, não tenho cansaço pra carregar. Você, sim, tão velhinho, aí sentado o dia inteiro, sempre posando pra foto. Não queria estar no seu lugar.
- Não queria mesmo? Duvido. Percebeu como o povo todo me rodeia, como as crianças me adoram, fazem questão de tirar foto comigo. Você está é com ciúme.
- Não é bem ciúme... me botaram aqui no mesmo dia em que armaram esta sua cadeira enorme na minha frente. Eu fiquei imaginando que só poderia ser para alguém muito importante – um trono. Só não sabia que era gente de tanto conhecimento, uma celebridade com tantas visitas para receber e conversar. E ainda rodeado de crianças. Elas só querem saber de você, nem se aproximam para me olhar, eu fico muito triste com esta indiferença de parte das crianças, principalmente.
- Pois deve ser triste mesmo, indiferença corrói a alma da gente. Mas aqui no shopping é tudo uma concorrência danada, pode até ser injusta, mas competição é competição. O povo compete pelos presentes, as lojas competem pelos clientes, a criançada compete pelos brinquedos. Você nem imagina os pedidos dos pequenos, são de arrebentar qualquer bolso, e principalmente a bolsa, ainda mais com esta crise. E você aí neste ostracismo, deitado nesta mangedourazinha, não faz nada pra resgatar sua importância, que sei, é bem maior que a minha, meu caro Menino.
- Tenho consciência disso. Mas as crianças não têm culpa. Sou capaz de apostar que nem meu nome elas sabem.
- Será? Mas você sabe quem sou eu.
- Claro que sei. Há meses que nesta terra só se fala em você. Jornais, outdoors, propagandas na TV, na Internet, em toda parte só dá você. Aliás, a gente está aqui conversando e eu nem sei se você é o verdadeiro ou uma das tantas imitações que andam por aí. Tem roupa sua por toda parte, qualquer um faz uma réplica barata, inventa barriga, cola uma barba horrorosa na cara, fica destilando dentro desta roupa incômoda e sai por aí. Olha, sem querer lhe desprestigiar, outro dia escutei que tem até bandido aproveitando a ocasião e se fazendo passar por você. Pelo menos disso eu estou livre.
- Lá isto é verdade. E vocêzinho aí vai ficar nesta plenitude, esperando que o povo se dê conta que é seu aniversário que está pra chegar? Esta gente é muito cara de pau, fica exigindo presente no seu lugar, uns aproveitadores é o que são. E o comércio bate palmas e enche o caixa. Sabe do que mais? Mexa-se. Ponha a boca no trombone, chame os seus amigos anjinhos, eles sabem tocar aqueles clarinetes com perfeição, podem convocar um pessoal pra sua festa onde você é que é o aniversariante e o homenageado.
- Vou lhe contar um segredo. Eles mais preferem me ver morto do que vivo.
- Cruz credo! Que pecado, uma coisinha linda igual você.
- Não, não é bem assim. Sabe a sexta-feira da Paixão? É quando o povo enche as igrejas só para olhar meus pés e mãos furados de prego. E a coroa de espinhos na minha cabeça. Aí eles gostam, se sentem condoídos, fazem orações, alguns até choram. É a culpa, porque não me acompanharam desde pequenino como agora.
- É, vá entender. Opa, opa! Vamos ter que encerrar nosso assunto, Amiguinho. Vem vindo um bando de crianças, todas portando máquinas digitais, coisa bem chata. Até mais tarde.
- Antes, posso lhe pedir um favor, unzinho só?
- Você manda, meu Menino.
- Eu queria que, se fosse possível, você levantasse do seu trono e passasse aqui pro meu lado e pedisse que o fotógrafo do shopping batesse uma foto sua e das crianças, comigo junto. Depois que todos se forem você me mostra. Combinado?
- Combinado.
- Ah, você é mesmo o verdadeiro e bom velhinho, Papai Noel. Vai ser meu presente de Natal. Obrigado!

O I Concurso Menino do Livro anuncia os vencedores

Ilustração de Lucas Alves Cardoso
Idade: 9 anos
O vale dos meninos perdidos

Ilustração de Marlon de Brito
Idade: 14 anos
Um dia de chuva


O I Concurso Menino do Livro, de autoria de Jacira Fagundes, foi criado em setembro do ano em curso e teve as inscrições prorrogadas até 30 de novembro.
Com 21 ilustrações inscritas e postadas no site http://www.jacirafagundes.com/, chega ao seu final e apresenta as ilustrações vencedoras.
O júri formado por 3 ilustradores e 1 escritor/ilustrador indicou as melhores ilustrações em cada categoria.

São vencedores no I Concurso Menino do Livro:

Na categoria de 07 a 10 anos:

Ilustração nº 12, referente ao capítulo O vale dos meninos perdidos.
Autoria de Lucas Alves Cardoso, 9 anos, aluno da 3ª série da EEEF Vicente Neves Caparelli, de Santo Antonio da Patrulha

Na categoria de 11 a 14 anos

Ilustração nº 21, referente ao capítulo Um dia de chuva.
Autoria de Marlon de Brito, 14 anos, aluno da 8ª série da EEEF Carlos Wortmann, do município de Canela.

Parabéns aos criadores das ilustrações vencedoras!

Parabéns a todos os professores que ofereceram suporte desenvolvendo atividades de leitura e ilustração da obra e assessorando seus alunos no envio de material!







Encerradas as inscrições para o
I Concurso Menino do Livro

A etapa de votação pelo júri vai de 04 a 08 de dezembro

Acompanhem a nova etapa do concurso.



Autor Presente em Bom Retiro do Sul

No dia 29 de outubro, a escritora Jacira Fagundes esteve em visita à Escola Estadual Jacob Arnt, de Bom Retiro do Sul, participando como autora convidada da Feira do Livro da escola.
O encontro com alunos e professores foi agendado através do Programa Autor Presente do Instituto Estadual do Livro.
A escritora foi recepcionada pelo alunado com apresentações do resultado de trabalho em sala de aula orientado pelos professores. Com as obras de autoria de Jacira Fagundes, adquiridas pela escola, com antecipação – O menino do Livro e Um desafio para Manoel – os alunos realizaram atividades de contação da história, criação de ilustrações, confecção de um livro a partir de releituras e painéis.
Alunos de 8ª séries recontaram em jogral e dramatizaram a história do Menino do Livro num bonito cenário confeccionado por eles. Destaque para a cena onde um dos meninos, representando o personagem da história, saltou do interior de enorme caixa de papelão e pulou para fora, surpreendendo os espectadores. Ao final, acompanhados por violão, todos juntos cantaram o trecho musical da história e seguiram com música e letra homenageando a escritora visitante.
A escritora teve oportunidade de visitar estandes de toda a Feira do Livro onde diferentes disciplinas expunham materiais diversos – resultantes de pesquisa e experiências em laboratório.
A Escola Estadual Jacob Arnt, de Bom Retiro do Sul, realiza trabalho relevante na conquista do ler e escrever e na expansão da literatura entre a comunidade escolar.

Siga as etapas do I Concurso Menino do Livro

1ª etapa: Inscrições

O I Concurso Menino do Livro encerra inscrições em 30 de novembro.
Mas ainda dá tempo para você participar.
Se você tem de 07 a 14 anos, gosta de desenhar, ou pintar ou criar imagens com recorte e colagem ou fazer outro tipo de ilustração, leia o livro “O Menino do Livro”, de autoria de Jacira Fagundes, e escolha um capítulo para ilustrar com um desenho bem criativo. Preencha a ficha de inscrição e não esqueça que sua ilustração deve estar de acordo com o texto do capítulo que você escolheu.
Conheça o regulamento aqui e baixe a ficha de inscrição no site:
www.jacirafagundes.com
Envie a ilustração e a ficha de inscrição preenchida para o e-mail: meninodolivro@gmail.com

Todas as ilustrações inscritas até o presente momento encontram-se postadas no site. Confira.

Projeto Histórias que pintam - I Concurso Menino do Livro

PROJETO HISTÓRIAS QUE PINTAM
Leitura e ilustração de obras infanto-juvenis

APRESENTAÇÃO:
O Projeto Histórias que Pintam, realizado pela escritora Jacira Fagundes, visa expandir a literatura infantil e juvenil nas escolas públicas e particulares, com apoio de livros de sua autoria.

JUSTIFICATIVA
Sendo a literatura uma ferramenta que estimula a escrita, a oralidade, a leitura, a inclusão da ilustração na oficina promove uma visão completa do livro também como um produto, além de mostrar um mercado a quem gosta de arte, mas não sabe como desenvolvê-la.
Devido à importância da leitura na formação do jovem, a escritora propõe uma parceria que visa ao incentivo da literatura e à afirmação da ilustração como elemento importante na constituição do livro.

OBJETIVO GERAL
Realizar o projeto “Histórias que pintam” em escolas públicas e particulares, com temática voltada à produção literária e à ilustração, promovendo o gosto pela leitura, e pela criação de texto e de ilustrações para livros.

Objetivos Específicos
Estimular a leitura e a compreensão de textos;
Reafirmar a importância da literatura para a vida do estudante,
Estimular a prática da ilustração, demonstrando através do trabalho de ilustradores sua importância na construção de um livro.
Mostrar aos jovens a possibilidade de trabalho na área de ilustração.

PÚBLICO-ALVO
O público atingido pelo projeto é formado por estudantes da escola e, de forma geral, professores da área e interessados em literatura, bem como bibliotecários.

METODOLOGIA
A atividade será coordenada pela escritora Jacira Fagundes. O evento tem duração de aproximadamente duas horas.

DESENVOLVIMENTO
A atividade se desenvolve na escola, em um ambiente lúdico e informal, onde acontece a apresentação de um livro e das personagens ao público escolar. As ilustrações em tamanho grande dão início à atividade, incentivando os alunos a visualizar a história e, posteriormente, a ilustrar todo e qualquer texto que venham a produzir, bem como a publicar. Os temas abordados no exercício de leitura levam à reflexão, questionamentos feitos ao narrador e ao autor, as ideias concebidas no texto, o enriquecimento das experiências do leitor, entre outros.
A contação de história acontece com a apresentação do livro escolhido pela escola, com leitura comentada. Ao final são propostas atividades de interatividade do público leitor: para os menores, atividades de representação de algumas cenas do livro ou a criação de um desfecho diferente para a história. No caso das classes mais adiantadas, após o exercício de leitura, os estudantes são estimulados a escrever um conto curto ou miniconto e a ilustrá-lo.
As atividades objetivam sempre a expressão de criação. O material produzido será colocado no site da escritora incentivando assim a utilização da internet para fins literários, compondo o conjunto de atividades que se intercalam ao longo do trabalho.
Sugere-se que a escola reúna duas turmas, totalizando cerca de 50 alunos, sendo que quem determina as séries envolvidas é a escola, conforme o livro escolhido. Ao final da atividade, o livro trabalhado e os demais estarão à disposição para venda e serão autografados pela autora.

RECURSOS

1) Humanos - O evento será organizado pela autora e a escola. O número total de participantes e dias de evento fica a ser estabelecido conforme interesse da instituição. É preciso uma pessoa responsável pela Escola para acompanhar o evento e resolver questões necessárias para a boa organização da atividade, como: acompanhar a montagem do local do evento, auxiliar com iluminação, orientações sobre atividades operacionais, etc.

2) Materiais - o espaço deverá ser cedido pela escola devendo ter capacidade adequada ao público que será recebido;

3)Financeiros – o único investimento da escola é com a aquisição de valor a ser combinado em livros da escritora Jacira Fagundes.

AVALIAÇÃO:
Ao final da atividade será realizada uma pesquisa com alunos e professores a fim de avaliar o projeto. O resultado será enviado por e-mail à coordenação da Escola.




I Concurso Menino do Livro



1. Apresentação:
O “I Concurso Menino do Livro” é destinado a crianças e jovens de 7 a 14 anos e consiste basicamente na leitura do livro de mesmo nome e no envio de uma ilustração de um capítulo escolhido.
O livro utilizado para o concurso é “O Menino do Livro”, de Jacira Fagundes, editora Nova Prova, 2008 e poderá ser adquirido em livrarias ou por empréstimo em bibliotecas. O participante deverá ler o livro e após selecionar um capítulo para ilustrar. A ilustração deverá estar de acordo com o texto do capítulo escolhido.

2. Inscrição:
Todo trabalho enviado, que estiver de acordo com os critérios do concurso, será publicado* no site http://www.jacirafagundes.com/
- Será aceito apenas um trabalho por participante;
- A ilustração para envio deve ter tamanho de 500 pixels ou 100 Kb;
- O trabalho ou a foto do trabalho (desenho, pintura, inclusive mesclados com recorte e/ou fotografia) deverá ser enviado em anexo para o e-mail: meninodolivro@gmail.com juntamente com a ficha de inscrição preenchida com os seguintes dados:
Nome, idade, nome da Escola, série escolar, endereço completo, email e fone para contato, título do capítulo selecionado e nº da página.
- Os e-mails devem ser enviados até o dia 30 de novembro.

3. Critérios de seleção:
Os trabalhos serão avaliados em duas categorias:
- 7 a 10 anos
- 11 a 14 anos
Serão avaliadas a criatividade e a relação com o capítulo escolhido.
Serão selecionados os 10 melhores trabalhos em cada categoria e postados no site até o 04 de dezembro. Após esta data, um juri convidado indicará o melhor trabalho entre os selecionados de cada categoria. As ilustrações vencedoras serão decididas por voto até o dia
08 de dezembro.
3. Premiação:
Serão selecionadas duas ilustrações: uma em cada categoria. Os autores irão ilustrar o novo livro da escritora,”Histórias que pintam”, tendo seus créditos na obra, além de receber 10 exemplares do livro a ser lançado no segundo semestre de 2010, por Jacira Fagundes.
As bibliotecas das Escolas dos estudantes vencedores receberão um box com 10 livros da escritora.

*Os participantes e seus responsáveis aceitam todas as condições deste concurso e no ato da inscrição cedem todo e qualquer direito de uso de imagem à escritora, bem como aceitam ter seus nomes e fotos publicados em materiais de divulgação de qualquer espécie.

Crianças com visão aprovam os livros acessíveis

                                                                                           Anna Júlia aprova A Escolha de Camila  ...